domingo, 3 de agosto de 2008

FIGURAS DE LINGUAGEM

Figuras de linguagem é uma forma de expressão que consiste no uso de palavras em sentido figurado, isto é, em um sentido diferente daquele em que elas normalmente são empregadas. Muitas figuras de linguagem são empregadas tanto na língua escrita quanto na língua falada. Agora veremos algumas delas:

AMOR À PRIMEIRA VISTA
Amor à primeira vista
é alma trocando de corpo
feito pássaro de ninho
é sede repentina
sede de água do outro

Comparação é a figura de linguagem que consiste em aproximar dois seres pela semelhança, de modo que as características de um sejam atribuídas ao outro, e sempre por meio de um elemento comparativo expresso: como, tal, qual, semelhante a, que nem, etc.
Amor à primeira vista é como sede repentina

Metáfora consiste em comparar dois seres através de uma qualidade atribuída a ambos. Vem a ser uma comparação, mas sem a presença da conjunção como.
Amor à primeira vista é sede repentina.

Metonímia é a figura de linguagem que consiste na substituição de uma palavra por outra em razão de haver entre elas uma relação de interdependência, de contigüidade, de proximidade.
Observe este anúncio:
Até os pratos mais simples
ficam com outro sabor quando
você usa a receita certa.

Note que, a palavra pratos não se refere ao recipiente em que colocamos a comida, mas à própria comida. ( Equivale a “ Até as comidas mais simples ficam com outro sabor quando você usa a receita certa”.)
Entre a palavra prato e a palavra comida existe uma relação de interdependência, uma vez que a comida é o conteúdo do prato (o continente é o que está fora).

Obs.: Usamos as metonímias nas imagens como recurso para orientar usuários em terminais de transportes, postos rodoviários, ginásios de esportes, etc. Assim talheres são desenhados para representar um restaurante, uma bomba de gasolina para representar um posto, um chapéu e uma bengala para indicar o banheiro masculino, etc.


Há vários tipos de metonímias, dependendo da relação entre os elementos que a formam.

·
A causa pelo efeito:
Por favor, não fume dentro de casa: sou alérgica a cigarro. (O cigarro é a causa; a fumaça, o efeito. Podemos ser alérgicos a fumaça, mas não ao cigarro).

·
O efeito pela causa:
Seus cabelos brancos exigiam respeito. (Os cabelos brancos constituem o efeito; a velhice é a causa do branqueamento dos cabelos.)

·
O nome do autor pela obra:
Leio um trecho de Machado de Assis todas as noites. (Machado de Assis é o autor, o que lemos são suas obras.)

·
A marca pelo produto:
O meu irmãozinho adora danone. (Danone é a marca de um iogurte; o menino gosta de iogurte.)

·
O abstrato pelo concreto:
O amor é cego. ( O amor é algo abstrato, está empregado, neste caso, no lugar da pessoa que ama.)

·
A parte pelo todo:
Com as enchentes, quinhentas famílias ficaram sem teto. ( O teto é parte de uma casa. Empregou-se a parte para designar o todo, a casa.)

Personificação ou prosopopéia é a figura de linguagem que consiste em atribuir linguagem, sentimento e ações próprias dos seres humanos a seres inanimados ou irracionais. Quando num texto um ser inanimado realiza ações próprias de seres vivos, ou um animal fala e tem sentimentos (como acontece nas fábulas).
A felicidade anda a pé.

Eufemismo é o emprego de palavra ou expressão no lugar de outra considerada desagradável ou chocante. É uma forma mais suave e delicada. para transmitir idéias negativas.
Veja a inúmeras formas que podem ser usadas para atenuar o sentido do verbo morrer.
Ele se foi./ Ele descansou./ Ele faleceu./
Ele entregou a alma para Deus.? Ele passou desta para melhor.

Hipérbole é a figura de linguagem que consiste em expressar uma idéia com exagero.
Parece que faz um século que eu não dou um chute na bola.

Ironia é o emprego de palavras ou frases que, no contexto, têm o sentido oposto ao que querem dizer.
Seu aproveitamento foi bom! Reprovado em seis matérias.

Gradação consiste em dispor das idéias em ordem crescente ou decrescente.
“Oh não aguardes, eu a madura idade,
Te converta essa flor, essa beleza,

Em terra, em cinza, em pó, em sombra, em nada.” (Gregório de Matos)

Antítese consiste em evidenciar a oposição entre duas ou mais idéias. (do grego anti,”contra” + thesis, “afirmação”)
Sem você, há noite onde havia sol, tristeza onde havia alegria.

Onomatopéia é a figura de linguagem que consiste no uso de palavras que procuram produzir ruídos em geral e sons produzidos pela natureza ou por animais.
O relógio fazia tique-taque, tique-taque...

Pleonasmo consiste na repetição de um termo ou uma idéia. (expressão redundante)
“Vi, claramente visto, o lume vivo
Que a marítima gente tem por santo.” (Camões)
Obs.: Evite o pleonasmo vicioso. (“entrar pra dentro”, “subir pra cima”; “saiu pra fora”, “Andava com os pés cautelosamente”, “Teve uma hemorragia de sangue”).

Um comentário:

wesley reis disse...

nao sou do seu coligio que voce dar auala mas gostei muito da sua postagem eu esquesi meu livro de portuques em casa e viajei mas comsegi estudar pelo seu site muito obrigada continue asim !!!!!!!!!!!!!!!!!!!